A associação dos hábitos de beber e fumar multiplica em até 20 vezes a possibilidade de uma pessoa saudável desenvolver algum tipo de câncer de cabeça e pescoço. Esta e outras informações sobre a doença serão transmitidas ao público do Hospital de Clínicas da Unicamp, em Campinas (SP), durante o Julho Verde, Campanha Internacional pelo Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço, celebrado nesta quarta-feira (27).

Das 9h às 16h, médicos irão orientar sobre os principais fatores de risco e formas de prevenção. A ação será realizada na rampa de entrada do 3º andar. Por ano, o HC realiza cerca de 4 mil consultas no ambulatório de cabeça e pescoço, 30% de casos suspeitos de câncer.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, os principais tipos de câncer nas regiões da cabeça e do pescoço são os de pele que atingem boca, faringe e laringe e também o de tireoide. O médico Flávio Mignone Gripp fará campanha no Hospital das Clínicas (Foto: Divulgação/Cristina Casarini)

A infecção pelo papilomavírus (HPV) contribui com o aumento na incidência da doença nos últimos anos e estudos brasileiros comprovam que cerca de 7% da população pode ter infecção pelo HPV detectada na boca.

Segundo o o cirurgião do HC, Flávio Mignone Gripp, representante regional da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), a maior causa deste tipo específico de câncer é o sexo oral sem proteção.

“A principal explicação para o aumento da incidência de infecções por HPV na região da boca é a mudança no comportamento da população, que pratica sexo oral sem proteção”, alerta o cirurgião.

Os sintomas mais comuns são nódulos no pescoço, incluindo a tireóide, lesões na boca que não cicatrizam

Cirurgião do HC Flávio Mignone Gripp,

Diagnóstico

A boa notícia é que o diagnóstico precoce e o rápido início do tratamento são fundamentais para a cura do câncer de cabeça e pescoço. Os tumores pequenos e localizados apresentam taxa de cura superior a 90% e, geralmente, são tratados por meio de cirurgias, quimioterapia e radioterapia.

Quanto mais rapidamente for diagnosticado, maior a chance de cura. A SBCCP alerta ainda para o fato de que toda lesão na boca que não cicatriza espontaneamente em até 21 dias, em especial naquelas pessoas que fumam e abusam do álcool, deve ser avaliada.

“Os sintomas mais comuns são nódulos no pescoço, incluindo a tireóide, lesões na boca que não cicatrizam, mudanças na voz, rouquidão, dor para engolir e lesões na pele da face”, reforça Gripp.

Julho verde

O dia 27 de julho foi definido como o Dia Mundial do Câncer de Cabeça e Pescoço no congresso mundial da especialidade, realizado em 2014, pela Federação Internacional das Sociedades Oncológicas de Cabeça e Pescoço e a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço.

Em Campinas, a campanha terá o apoio da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), da Prefeitura Municipal, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCC) e do Hospital Ouro Verde.

 

Fonte: G1